10 clipes de k-pop que foram censurados pela TV coreana


  • 20/10/2021 - 10:00
  • Compartilhe:

BLACKPINK, Lee Hyori, PSY e mais já tiveram clipes censurados

Embora a Coreia do Sul já não viva mais em uma ditadura, a sociedade sul-coreana ainda traz consigo traços de algo que podemos chamar de conservadorismo. Alguns assuntos que por aqui são tratados com mais liberdade, por exemplo, ainda são tabus na terra do k-pop. Nenhum problema até aqui. Não é nenhuma surpresa que alguns conteúdos sejam considerados inapropriados em diferentes culturas, já que cada uma possui suas próprias restrições e particularidades, que remontam a diferentes contextos sociais e históricos.

No entanto, sabemos que a linha que separa o que é inapropriado e o que é um mero tradicionalismo é muito tênue. Muitas vezes, até mesmo os mais jovens da Coreia se surpreendem ao se depararem com certas restrições em uma cultura que, cada vez mais, recebe influências do exterior e é exportada para todo o mundo.

A quantidade de artistas, músicas e videoclipes que já foram considerados inapropriados para transmissão na TV sul-coreana é extensa. Os motivos de tais proibições são ainda mais diversos. Conteúdos sexuais, violência, relações homossexuais e até mesmo infrações de trânsito são considerados motivos para censura. Músicas também já foram censuradas por motivos semelhantes ou até mesmo por citarem termos em idiomas como o chinês ou o japonês.

Selecionamos 10 videoclipes coreanos que foram considerados inapropriados para exibição por emissoras de TV da Coreia. Navegue por nossa lista abaixo e confira se você concorda ou não com o motivo da censura.

“Kill This Love”, BLACKPINK (2019)

Sucesso de visualizações no YouTube, o clipe de “Kill This Love”, do BLACKPINK, foi considerado inapropriado para exibição pela emissora KBS, a principal da Coreia do Sul. O canal não especificou o motivo da censura, mas acredita-se que seja pelo fato da integrante Rosé aparecer dirigindo sem cinto de segurança, já que outros clipes já foram censurados pelo mesmo motivo.

“Chitty Chitty Bang Bang”, Lee Hyori (2010)

Um desses exemplos é o clipe de “Chitty Chitty Bang Bang”, da diva Lee Hyori. . No videoclipe, a estrela e suas dançarinas aparecem dirigindo caminhões sem cinto de segurança, dançando em meio a uma rodovia e em cima dos veículos. Mesmo se tratando apenas de uma encenação, feita em uma rua fechada apenas para a gravação do vídeo, a imagem de tais infrações foi considerada inadequada.

“Gentleman”, PSY (2013)

O sucessor do clássico “Gangnam Style” na videografia de PSY não foi tão bem aceito na TV coreana como foi no YouTube. Logo no início do clipe de “Gentleman”, PSY aparece chutando um cone que diz “Não Estacione”, antes de rir e apontar para a câmera. A cena foi considerada fora dos padrões para transmissão para o público e o vídeo foi censurado na TV coreana. Ao que tudo indica, o público não se ofendeu muito com a cena e na internet o clipe foi um sucesso, contabilizando hoje quase um bilhão de visualizações.

“Catallena”, Orange Caramel (2014)

Até os clipes engraçadinhos do Orange Caramel já sofreram restrições para exibição na TV coreana. No divertido clipe de “Catallena”, o trio e os outros personagens aparecem vestidas de sereias e como partes de um sushi, sentadas em um pedaço de arroz, e são enroladas e vendidas como alimentos. A TV coreana considerou o vídeo inadequado para transmissão por “desprezar a vida humana”, ao mostrar pessoas sendo vendidas como comidas.

“BTD”, INFINITE (2013)

Uma das canções que catapultou o INFINITE para o sucesso, “Before The Dawn” também não passou impune pelo censura por ter cenas de “violência gratuita”. No vídeo, os integrantes L e Woohyun lutam entre si para conseguirem escapar, antes do amanhecer, de um local que os aprisionava. As cenas do duelo entre os dois cantores foram consideradas muito violentas para serem transmitidas para todos os públicos.

“Vibrato”, Stellar (2016)

Temáticas sensuais eram comuns nos trabalhos do Stellar e “Vibrato” não foi o primeiro vídeo das meninas que recebeu uma classificação de restrição para maiores de 19 anos (maioridade na Coreia). Em “Vibrato”, as garotas usam e abusam de simbologias que remetem ao ato sexual e principalmente ao órgão feminino. O cunho sexual era tão forte que a gravadora queria que o grupo se apresentasse usando vestidos cavados e calcinha fio dental, ideia que as próprias se opuseram veementemente.

“Your Fortune”, Norazo (2015)

A dupla veterana Norazo também já foi banida de exibir um vídeo seu na TV coreana. O clipe de “Your Fortune” foi vetado da TV por exibir imagens muito “psicodélicas” e por exibir muitas tatuagens.

“Abracadabra”, Brown Eyed Girls (2009)

As ousadas garotas do Brown Eyed Girls tiveram um dos seus maiores sucessos com “Abracadabra”: a coreografia da música se tornou febre na Coreia e foi até “homenageada” na dança de “Gentleman”, do PSY. No entanto, o clipe da canção também foi considerado inapropriado para o público em geral por seu “conteúdo sexual” e pelas cenas de insinuação de romance entre as integrantes Narsha e Gain, no final do vídeo.

Clique para ler essa e outras entrevistas exclusivas

Acesse nosso canal no Telegram e receba atualizações sobre o mundo do entretenimento asiático