Entrevista exclusiva: Apoki fala sobre a nova fase de artistas virtuais no k-pop: “apoiem essa cena”


  • 18/09/2021 - 08:00
  • Compartilhe:

Apoki é uma coelhinha virtual que canta e dança no YouTube

A relação entre o k-pop e o mundo digital não é novidade nenhuma. Ora, foi por vias virtuais que a música coreana se popularizou em todo o mundo e é por meio de plataformas digitais que grande parte dos fãs fora da Coreia interagem com seus ídolos. O bom uso do ambiente digital para conquistar novos públicos é certamente um dos grandes segredos do sucesso internacional do k-pop.

Se a relação entre o k-pop e o mundo virtual já foi consolidada com sua expansão mundial, a indústria do entretenimento coreano tem se dedicado a levar essa parceria a um outro nível. Exemplos de artistas que têm apostado na tecnologia não faltam, como os grupos aespa e K/DA. Para entender mais sobre essa “fase virtual” do k-pop, conversamos diretamente com quem faz parte dessa cena.

Apoki é uma artista virtual coreana, que recentemente se aventurou com lançamentos musicais no k-pop. Ela é uma “coelhinha alienígena”, que começou sua carreira como influenciadora digital. Em bate-papo exclusivo com a Highway Star, ela defendeu a crescente onda virtual no k-pop e pediu que os fãs brasileiros “apoiem essa cena”.

Logo no início da entrevista, Apoki contou que decidiu criar seu canal no YouTube pois, lá do seu planeta, ficou sabendo que o YouTube era muito conhecido aqui na Terra. “Eu gostava de assistir o YouTube, então decidi enviar minhas músicas e danças para a Terra e me comunicar com todas as pessoas do seu planeta”, disse.

“As pessoas me chamam de virtual, mas sou apenas Apoki. Eu sou igual a vocês”, ela garante.

Apoki começou a se arriscar na música fazendo covers de artistas como BLACKPINK, ITZY e Apink. Ela conta que seu cover favorito é de “How You Like That”, do BLACKPINK. “Eu realmente gosto dos planos de fundo e conceitos do vídeo. Fico satisfeita cada vez que assisto a este clipe”, disse, recomendado o vídeo para quem ainda não conhece seu canal.

“Eu também recomendo ‘More & More’, do TWICE. Eu acho que o frescor e o estilo de coelho das meninas (que são parecidos com o meu) combinaram bem. Sugiro prestar atenção ao fundo que se move no tempo e no espaço!”, indica Apoki.

Com o crescente número de visualizações em seu canal no YouTube, Apoki tem apostado recentemente em músicas originais, com o lançamento dos singles e dos videoclipes de “Get It Out” e “Coming Back”. “Decidi lançar minhas músicas desde o primeiro dia em que lancei o meu primeiro conteúdo no YouTube. Eu não pensei exatamente quando seria, mas finalmente decidi lançar depois de ver os comentários de apoio das pessoas, então comecei a trabalhar em meu primeiro single”, conta Apoki.

A motivação principal para seguir na carreira musical veio do interesse que os internautas demonstraram nos conteúdos da coelhinha. “Meus fãs me dão uma energia super completa e eu acho que isso é o mais importante”, confessa. “Eu também acho que as energias ao meu redor influenciam minhas músicas. Quero dizer, quando estou triste, a tristeza se reflete na música, e quando estou feliz, a alegria parece se refletir. Meu humor parece ser o que mais impacta diretamente na minha música”, ela nos conta.

Apoki, que já gravou uma parceria com o K/DA, diz que acredita que o grupo formado por personagens do jogo “League of Legends”, e o grupo aespa, da SM Entertainment são grandes inspirações. “Tenho muito a aprender com elas”.

Sobre seu primeiro single, “Get It Out”, lançado em fevereiro deste ano, Apoki diz que contou com o apoio de sua equipe para expressar bem suas intenções. “Eu queria desvendar as histórias sobre ‘mim’, para que o conteúdo do videoclipe ou da música fossem capazes de expressar as histórias do meu passado e a direção que quero seguir no futuro“. Já em seu segundo single, “Coming Back”, ela diz que “queria expressar sua essência mais atual”. “Minhas dançarinas de apoio, Ova e Doju, são as melhores dançarinas da minha terra, e elas me ajudaram a criar a coreografia”.

Se para alguns pode parecer estranho acompanhar um artista virtual, Apoki garante que para os fãs essa relação pode ser vantajosa. “A única desvantagem que tenho é que não posso dar um abraço nos meus fãs, mas isso acontecerá em um futuro muito próximo, quando tivermos tecnologia suficiente para isto”, ela acredita. “As pessoas ainda não estão familiarizadas com ele (mundo virtual), mas ele está crescendo muito rápido. Farei o meu melhor para mostrar ao mundo que o entretenimento virtual é incrível! Por favor, Brasil, apoie esta cena!”, pede Apoki.

A opinião de Apoki é compartilhada por outras figuras do entretenimento coreano, como Lee Soo Man, fundador da SM Entertainment, que disse recentemente que “o mundo virtual é o futuro do entretenimento. “O Sr. Lee é uma pessoa fundamental do k-pop e eu acredito em seus pensamentos e opiniões também. Bem, eu apenas tento dar o meu melhor e esperar o dia que ele previu chegar”, disse Apoki. E não é só o fundador da SM Entertainment que tem apostado no mundo virtual do k-pop. Recentemente, a CJENM, uma das maiores empresas de entretenimento da Coreia, investiu 6 bilhões de wones (aproximadamente R$27,5 milhões) na AFUN Interactive, empresa de gráficos 3D, que criou Apoki.

Se o público mais tradicional pode estranhar uma artista virtual, há quem já esteja crescendo habituado com essa nova possibilidade. Com mais de 2 milhões de seguidores no TikTok, Apoki tem conquistado o público mais jovem da plataforma de vídeos. “Acho que as pessoas mais jovens cresceram com animações 3D, então estão mais familiarizadas com minha aparência. Eles me consideram uma pessoa real na Terra e eu realmente gosto disso”, diz. 

Se as possibilidades de interação com artistas virtuais pela internet são semelhantes com artistas do mundo virtual, Apoki garante que presencialmente também poderá conhecer seu público. Perguntamos se seria possível que ela, um dia, se apresentasse no Brasil e a resposta foi positiva: “Com certeza! Estou pronta para ir ao Brasil quando as pessoas precisarem de mim. Estou ansiosa para fazer um show em breve!”, ela promete.

Enquanto isso não é possível, quem quiser conhecer mais sobre esse lado “virtual” do k-pop, pode acompanhar Apoki em suas redes sociais. “Vejo tantos fãs brasileiros nas minhas redes sociais e nos comentários no YouTube. Amo vocês, muito obrigada por todo o apoio! Espero ver vocês em breve no Brasil”, disse a cantora virtual.

Clique para ler essa e outras entrevistas exclusivas

Acesse nosso canal no Telegram e receba atualizações sobre o mundo do entretenimento asiático