Entrevista exclusiva: KARD fala sobre relação com fãs brasileiros, “Gunshot”, turnê em 2021 no Brasil e mais


  • 16/10/2020 - 18:12
  • Compartilhe:

Poucos artistas possuem uma relação tão próxima com os fãs brasileiros como o KARD. Em 2021, o grupo fará sua quarta turnê no país e o Brasil ocupa um lugar todo especial na carreira e no coração dos integrantes. A relação é recíproca: o Brasil ama o KARD e apoia cada passo da carreira do grupo. Para falar um pouco sobre essa relação, batemos um papo com o KARD sobre os fãs brasileiros. Eles falaram também sobre seu mais recente trabalho, “Way With Words”, que trouxe o impactante single “Gunshot”.

Confira a entrevista exclusiva que fizemos com o KARD, antes do alistamento do J.Seph:

HWS: O Brasil possui uma relação forte com o KARD. E para vocês, qual é a relação do KARD com o Brasil?

Somin: É algo que sempre sentimos gratidão. Sempre nos dão amor e torcem por nós, apesar de não sermos perfeitos. Queremos sempre responder a esse amor muito mais do que recebemos.

HWS: Vocês fizeram sua primeira turnê no Brasil antes da estreia oficial e ano passado já fizeram shows em quatro grandes cidades do Brasil. Como vocês percebem a evolução da popularidade do KARD no Brasil?

J.Seph: Só temos a agradecer… era um sonho poder fazer pelo menos um show em um lugar tão longe. E muito mais que isso, conseguimos visitar várias regiões. Sempre agradecemos aos fãs brasileiros que nos dão muito amor.

HWS: Ainda sobre as turnês no Brasil, o KARD já passou por oito cidades brasileiras e já fez quase 20 eventos no Brasil. Queríamos saber se vocês têm alguma lembrança específica que seja especial sobre as turnês no Brasil ou que mais tenha marcado vocês.

J.Seph: Lembro muito do coração (de galinha, de churrasco). E também da churrascaria. Fiquei intrigado com o jeito de servir, que traziam a carne até a mesa para cortar na hora, sem precisarmos ir buscar.

HWS: O k-pop costuma fazer uma diferenciação, que aos nossos olhos não faz muito sentido, sobre ídolos e artistas. Sabemos que o KARD efetivamente se entrega em seus trabalhos, com composição, produções e em demais formas de envolvimento em seus projetos. Ao mesmo tempo, percebemos a popularidade do KARD como ídolos de uma base fiel de seguidores. Como vocês posicionam o KARD em uma indústria que faz essa distinção entre ídolos de artistas?

BM: Fazemos as duas formas! Temos um lado de “artista”, mas também um lado “ídolo”. Como nós trabalhamos com a criação e a produção, o estilo do KARD é bem definido, mas por outro lado, muitas pessoas também ajudam na criação, definindo o lado “ídolo”.

HWS: Sabemos que o k-pop exige uma rotina desgastante de seus artistas. O que motiva os integrantes do KARD, de forma individual, a trabalhar tão arduamente?

Somin: Nossas famílias, nossos integrantes (do KARD), os Hidden KARDs, e toda a equipe que trabalha duro com a gente. Ao estar junto com eles, não nos sentimos só, todos eles nos dão muita força.

HWS: 2020 foi um ano atípico para todos. Em meio a um momento de baixa do mundo do entretenimento e para a cultura em geral, o KARD lançou dois projetos. Como foi esse processo de quarentena e atividades do KARD neste ano até então?

Somin: Primeiramente, quando fizemos as atividades nas emissoras de TV, não pudemos ver os fãs de perto. Sem contar as turnês no exterior, o show na Coréia também foi online, o que me deixou muito triste.

HWS: O KARD já usou influências de diferentes estilos musicais em suas músicas. Como você vê essa mescla de estilos musicais que é o k-pop, que permite você use influências de outros gêneros na música pop?

BM: Eu concordo. Eu definiria o k-pop como aquilo que combina com vários outros estilos, sem deixar estranha essa combinação.

HWS: O clipe de “Gunshot” é bem impactante e com significados bem profundos. É perceptível a crítica sobre forma com que podemos usar palavras e atitudes para ferir alguém ou para invadir a privacidade de alguém, e como esses processos estão sempre mediados pela mídia ou pelas novas formas de comunicação, como as redes sociais digitais. Ao mesmo tempo, vocês usaram esses mesmos meios para passar uma mensagem contrária à toda essa negatividade que é criticada no clipe. De que forma a música do KARD pode contribuir para ir na contramão de uma sociedade tão sujeita a criticar e apontar o dedo para as pessoas?

Jiwoo: Todas as pessoas com certeza já passaram por situações que se magoaram com as palavras de alguém, assim como já magoou alguém com suas palavras. As pessoas agem como se tudo isso fosse normal. Espero que essa música possa alertar essas pessoas de alguma forma.

HWS: Ainda sobre o novo trabalho, o BM falou em entrevistas e nas redes sociais que foi um processo de produção doloroso e que exigiu muito de vocês. Em que “Way With Words” se diferencia dos outros materiais lançados pelo KARD?

BM: A mensagem dessa música é clara. E conforme essa mensagem, definimos o conceito e o videoclipe. O processo doloroso foi no ato de produzir a música, tendo que pensar e imaginar bastante sobre a violência verbal, assim como lembrei bastante do meu sofrimento no passado.

HWS: A próxima turnê do KARD no Brasil precisou ser reagendada duas vezes devido à pandemia do covid-19 e ainda assim os fãs estão muito animados para encontrar o KARD novamente. Para finalizar, contem pra gente quais são as expectativas do KARD para a turnê de 2021.

Jiwoo: Sentimos muito ter sido preciso adiar duas vezes a turnê e no meio disso, a última turnê antes do alistamento do J.Seph ter se passado dessa forma. A turnê de 2021 será com três integrantes e ainda estamos sem saber como será. Mas sei que os fãs estão esperando e por isso iremos nos esforçar bastante!

Sempre é bom lembrar: os ingressos para a turnê do KARD em 2021 já estão à venda. BM, Somin e Jiwoo farão shows em São Paulo e Curitiba e sessões de autógrafos em Brasília e no Rio de Janeiro. Não deixe de participar e apoiar o grupo.