Fãs do BLACKPINK criticam reportagem da Rede Globo sobre polêmica com pandas chineses


  • 12/11/2020 - 14:32
  • Compartilhe:

Fãs brasileiros do grupo BLACKPINK usaram as redes sociais, nesta quinta-feira (12), para criticar uma reportagem da Rede Globo. Na manhã desta quinta, a emissora falou sobre a recente polêmica que cenas das artistas com um filhote de panda causaram na China.

A reportagem foi transmitida no G1 em 1 Minuto, boletim jornalístico que exibido ao longo da programação da emissora. A matéria foi ao ar durante o programa matinal Encontro. Na reportagem, a apresentadora Paula Paiva relata as críticas que o grupo BLACKPINK recebeu de chineses devido a uma cena em que as meninas aparecem em contato com um filhote de panda, em um vídeo divulgado na última semana. Após a exibição do boletim, a hashtag #GloboApologizeToBLACKPINK apareceu entre os assuntos mais comentados do Twitter no Brasil. Fãs do quarteto criticaram a abordagem da reportagem feita pela emissora e pediram que Globo fizesse um “pedido de desculpas” ao BLACKPINK.

Entenda o caso

A polêmica aconteceu na última semana, quando foi divulgado uma prévia do último episódio do reality do YouTube “24/365 with BLACKPINK”, que mostra cenas dos bastidores e do dia a dia do quarteto. Na prévia, o BLACKPINK aparece visitando o parque Everland, que fica na Coreia, e tendo contato com um filhote de panda. Uma das cenas mostra mãos sem luvas tocando o bebê panda, mas não deixa claro de quem são as mãos. Em outra cena, as integrantes Jennie e Rosé aparecem tocando um panda adulto, acompanhadas da equipe do parque. Nas demais cenas, as cantoras aparecem usando equipamentos de proteção, como luvas e máscaras.

Após ser divulgado, o vídeo gerou polêmica na China. As críticas vieram da Associação de Conservação da Vida Selvagem da China. Segundo a associação, o parque coreano teria “violado as regras de proteção aos pandas” ao permitir que pessoas não autorizadas tocassem os animais sem a devida proteção. A instituição de proteção de animais selvagens chineses pediu para que o parque coreano não permitisse mais a divulgação desse tipo de vídeo. “Acreditamos que seja necessário um controle mais rígido das áreas de gerência, de proteção e científica, para evitar que situações como essas aconteçam novamente”, disse a associação em uma carta oficial enviada ao parque Everland, no último dia 7.

O bebê panda que aparece com o BLACKPINK é Fu Bao, o primeiro panda a nascer na Coreia do Sul, segundo reportagem da CNN. Ele é um filhote de um casal de pandas chineses que foram enviados para a Coreia em 2016. Os pandas são considerados um “tesouro da China” e, ao longo dos anos, o país tem enviado alguns deles para outros países, como um sinal de “amizade”, ao oferecer oportunidade para que outros países tenham contato com o animal. Mesmo em outros países, os animais permanecem sob constante controle e observação de profissionais e instituições chinesas.

Diante da situação, a YG Entertainment se manifestou por meio de um comunicado oficial, ressaltando que o BLACKPINK seguiu todas as orientações de segurança ao lidar com o panda. A gravadora afirmou que os veterinários e profissionais do parque Everland acompanharam o grupo durante toda a visita e destacou o fato das integrantes terem usado roupas e equipamentos de proteção, além de terem tido suas mãos e sapatos constantemente higienizados. No entanto, diante da polêmica, a gravadora afirmou que decidiu retirar o vídeo do ar e adiar o lançamento do último episódio do reality “em respeito às recomendações dos profissionais especializados na conservação dos pandas”, que indicaram que as cenas poderiam gerar “mal entendidos”.

A crítica dos fãs brasileiros do BLACKPINK apontam que a reportagem da Rede Globo “não relatou corretamente o caso”, dando a entender que o grupo de fato não tomou as devidas precauções ao tocar no filhote. No Twitter, muitos usuários publicaram imagens das integrantes do grupo usando máscaras e luvas para ressaltar as medidas de prevenção adotadas pelas cantoras. Outra crítica apontada pelos usuários do microblog se deu pela reportagem relatar que o grupo não teria se posicionado sobre o caso e apenas apagado o vídeo, desconsiderando o comunicado feito pela YG Entertainment. Outros fãs criticaram também uma reportagem publicada no site do G1, que relacionou o caso do BLACKPINK com o suposto “boicote” que o grupo BTS teria sofrido na China.

Segundo fãs do grupo, a reportagem serviu apenas para “reacender” uma polêmica que prejudicou o BLACKPINK e que já estava “esquecida”.