Gravadoras coreanas protestam contra nova lei sobre serviços militares obrigatórios


  • 12/04/2021 - 16:56
  • Compartilhe:

Gravadoras coreanas alegam que nova lei beneficia apenas o grupo BTS

A Associação de Produtores de Música da Coreia (KMCA) entrou com uma reclamação formal contra o Ministério de Defesa Nacional da Coreia do Sul, a respeito da recente alteração na lei sobre o alistamento militar obrigatório. As informações são do Korea JoongAng Daily.

Aprovada em dezembro do ano passado e com previsão de entrar em vigor a partir do dia 23 de junho, a nova lei militar prevê que artistas de k-pop que tenham sido condecorados por méritos culturais possam adiar o alistamento militar até os 30 anos de idade. De acordo com a lei original, todo homem sul-coreano deve se alistar no serviço militar entre os 18 e os 28 anos de idade. Com a aprovação da emenda, será concedido um benefício para estrelas de k-pop “notáveis” que queiram adiar o alistamento até os 30 anos de idade.

A reclamação do KMCA, registrada na última semana, considera a emenda como “injusta”. A justificativa da associação é que, para receber a condecoração por mérito na cultura, o artista tem que ter mais de 15 anos de carreira. A média dos artistas que recebem a homenagem é de 60 anos de idade e o caso do BTS foi uma exceção. O grupo recebeu a Ordem do Mérito Cultural pelo presidente Moon Jae In em 2018, apesar de terem começado sua carreira em 2013.

“Para um cantor se enquadrar no critério antes de chegar aos 28 anos, idade máxima para o alistamento, ele deve começar sua carreira no mínimo aos 13 anos de idade”, disse o KMCA. “E isso não necessariamente quer dizer que ele poderá solicitar o adiamento, ele apenas estará elegível para receber o mérito cultural”, explicou a associação.

A associação também comparou o critério da lei e disse que ela diminui os méritos dos artistas pop, dificultando para que o adiamento seja solicitado. No entanto, outros profissionais como empresários de startups e estudantes que queiram cursar o ensino superior fora da Coreia do Sul podem solicitar o adiamento.

“Não estamos pedindo que o padrão de avaliação seja reduzido, mas estamos ressaltando que o critério atual é irrealisticamente alto. Como os músicos podem preencher um critério que é praticamente impossível de se conseguir? Pedimos que o ministério apresente requisitos que possam ser cumpridos pelos músicos e não oferecidos em caráter de exceção”, disse o KMCA.

Durante o processo de aprovação da emenda, Jeon Yonggi (Partido Democrata) justificou que a lei tinha como foco beneficiar o grupo BTS, mas chegou a citar que os artistas pop em geral perdem a melhor fase de suas carreiras para cumprir o serviço militar.

O KMCA é uma associação que representa os direitos de gravadoras da Coreia do Sul, da qual fazem parte nomes como FNC Entertainment, CJENM, JYP Entertainment, YG Entertainment, Kakao Entertainment, Universal Music Korea e HYBE (Big Hit Entertainment).

Acesse nosso canal no Telegram e receba atualizações sobre o mundo do entretenimento asiático