fbpx

Retrospectiva 2020: relembre o que aconteceu de mais importante no k-pop durante o ano


  • 29/12/2020 - 17:20
  • Compartilhe:

Relembre o que aconteceu durante o ano no k-pop com a nossa retrospectiva 2020

2020 foi um ano atípico. Talvez o mais difícil dessa geração. A pandemia do covid-19 fez com que muitas pessoas perdessem pessoas queridas e seus empregos e virou o mundo de cabeça pra baixo. Terminamos o ano com a esperança que 2021 seja um ano melhor, com mais saúde para todos.

No k-pop, apesar das dificuldades, o entretenimento seguiu em frente e 2020 foi um ano de grandes acontecimentos. A dominação mundial do BTS, o sucesso do BLACKPINK e novos grupos ajudaram a movimentar a cena, mesmo sem shows presenciais.

Para relembrar o ano, selecionamos 10 fatos importantes para o k-pop que aconteceram em 2020. Navegue pela lista e aproveite para comentar em nossas redes sociais o que você considera que foi importante para o entretenimento coreano durante o ano.

Invasão coreana

Para o entretenimento coreano, o ano de 2020 começou bem. Em janeiro, um filme coreano foi premiado pela primeira vez com o Oscar de “Melhor Filme”. O sucesso mundial de “Parasita” serviu como uma prévia de uma verdadeira “invasão coreana” na indústria norte-americana.

O BTS, que já vinha conquistando seu lugar na Terra do Tio Sam, chegou com tudo em 2020. Com dois álbuns lançados, o septeto se tornou o primeiro artista coreano a colocar um single no primeiro lugar da principal parada musical dos Estados Unidos. E não foi só isso: ao longo do ano, foram três músicas do BTS que apareceram entre as mais ouvidas entre os norte-americanos. Entre apresentações em programas de prestígio na TV norte-americana, novos recordes, sucesso de vendas e alta rotatividade de suas músicas nas rádios, a coroação final do sucesso do grupo veio com uma indicação ao Grammy, considerado o principal prêmio da indústria fonográfica dos Estados Unidos. “Dynamite” foi sem dúvida um dos maiores hits do ano em todo o mundo e elevou o sucesso dos rapazes para um novo patamar.

“BLACKPINK In Your Area”

2020 foi um ano e tanto também para o grupo BLACKPINK. Só o sucesso no YouTube já seria o suficiente para tornar o ano um marco na carreira das meninas: além de se tornar o primeiro grupo de k-pop com 50 milhões de inscritos na plataforma, o quarteto se tornou o grupo de k-pop com mais vídeos com um bilhão de acessos no YouTube e segue como um dos canais de música mais populares na rede social. Como se não fosse o suficiente, o grupo também fez um sucesso estrondoso com seu primeiro álbum de estúdio, “The Album”, que foi o primeiro de um grupo feminino coreano a vender mais de um milhão de cópias. O grupo também estrelou um documentário na Netflix, foi premiado no Video Music Awards da MTV e fez parcerias com divas da música pop mundial, como Lady Gaga e Selena Gomez. Com tantos feitos, tudo indica que a popularidade do grupo só tende a crescer em 2021.

Novos rostos e separações

Um ano de k-pop sem várias estreias não seria um ano normal e é claro que muitos novos grupos surgiram ao longo deste ano louco que foi 2020. Dentre os principais, podemos citar aespa, Blackswan, Cignature, Cravity, Drippin, E’last, ENHYPEN, GHOST9, MCND, Weeekly, Wei, P1Harmony e TOO.

Enquanto alguns chegam, outros se despedem. 2020 foi o ano em que grupos como Hinapia, MASC, Spectrum e 1the9 anunciaram sua separação.

Polêmicas

Ainda falando sobre separações, não podemos deixar de mencionar uma das maiores polêmicas do ano. Foi no início de 2020 que o grupo X1, formado na competição musical “Produce X 101”, se separou pouco depois de começar sua carreira. O grupo chegou ao fim em meio a acusações de que o programa que selecionou seus integrantes manipulava votos. Ao longo do ano, a investigação sobre o caso correu com o julgamento dos produtores envolvidos no programa até a recente divulgação da lista de participantes que foram prejudicados pela manipulação.

Em 2020, vimos também a cantora Hyemi deixar o grupo Blackswan, pouco após sua estreia, por acusações de que teria dado um golpe financeiro em um homem. Vimos também o ex-Stray Kids Woojin ser acusado de assediar duas garotas e acusação de que a ex-integrante do AOA, Mina, teria sofrido bullying das ex-colegas de banda.

Supergrupos

2020 também foi um ano dominado pelo sucesso de supergrupos. E não foi só o SuperM que se destacou. O SSAK3, formado pelo apresentador Yoo Jaesuk, pela diva Lee Hyori e pelo popstar Rain dominou as paradas musicais coreanas com hits inspirados no k-pop dos anos 90. Logo após o fim do SSAK3, Hyori tratou de reunir um novo supergrupo e lançou mais um hit do ano. O grupo Refund Sisters era formado por quatro divas de diferentes gerações do k-pop: Uhm Junghwa, Hyori, Jessi e Hwasa uniram forças e dominaram todas as paradas musicais da Coreia com o single “Don’t Touch Me”.

Ano virtual

A nova década de 20 trouxe também uma nova tendência no entretenimento: grupos formados por personagens virtuais. O K/DA é o exemplo mais bem sucedido. Criado pela empresa de jogos Riot Games, o grupo é formado por Ahri, Kai’Sa, Evelynn e Akali, campeãs do League of Legends e faz sucesso com músicas que pegam emprestadas vozes de integrantes de grupos como (G)-IDLE e Twice. Na esteira do sucesso do K/DA, a SM Entertainment lançou o aespa, grupo que mistura integrantes reais com seus respectivos “avatares virtuais”.

Ano das lives

Mas o tom “virtual” de 2020 não ficou apenas por conta do K/DA e do aespa. Ao longo do ano, diversos shows foram cancelados e adiados por conta da pandemia do covid-19. A turnê do KARD no Brasil, que estava marcada para acontecer em maio, precisou ser adiada para julho 2021. Em contrapartida, os artistas investiram cada vez mais em projetos virtuais e se renderam à tendência das lives, realizadas na maioria das vezes, com a cobrança de ingressos. Foi neste ano também que a Highway Star fez os seus primeiros eventos de meet & greet virtuais com artistas de k-pop para o público brasileiro, como forma de aproximar os fãs de seus ídolos durante a pandemia.

Coronavírus

Não dá para falar de 2020 sem citar os casos de covid-19. No k-pop, os casos chegaram com a recente onda de crescimento dos casos no país. Os grupos UP10TION, Everglow, Golden Child e a cantora Chungha foram alguns dos que testaram positivo para o coronavírus. E não foram só os shows que foram cancelados. Ao longo do ano, diversas produções da TV coreana precisaram ser interrompidas devido ao crescente número de casos na Coreia. Felizmente, todos os casos confirmados têm dado boas notícias sobre seu tratamento.

Sucesso nos dramas

A “invasão coreana” também aconteceu no mundo dos dramas. Uma das maiores plataformas de streaming do mundo, a Netflix se jogou de vez nos dramas coreanos em 2020 e trouxe produções de sucesso como “It’s Okay to Not Be Okay”, “Itaewon Class”, “Start-up”, “When the Camellia Blooms” e “Kingdom”.

2020 foi o ano também que a Coreia se rendeu ao sucesso das produções Boys Love: ainda que sejam produções menores, com episódios curtos, os dramas BL coreanos têm conquistado o coração dos fãs e aberto as portas do país para histórias com romances entre rapazes. “Wish You”, “Color Rush”, “Mr. Heart” e “Where Your Eyes Linger” foram as principais produções do gênero.

20 anos de BoA

Foi neste ano também que a “rainha do k-pop” celebrou seus 20 anos de carreira. BoA começou sua carreira no já distante ano 2000, quando muitos atuais ídolos do k-pop sequer eram nascidos. Para celebrar suas duas décadas de história, BoA lançou este ano seu décimo álbum de estúdio e recebeu também uma homenagem em um álbum tributo, com versões de seus sucessos cantadas por nomes como Baekhyun e Red Velvet.

Acesse nosso canal no Telegram e receba atualizações sobre o mundo do entretenimento asiático