Spotify e KakaoM comentam retirada de músicas de k-pop da plataforma; entenda


  • 01/03/2021 - 15:04
  • Compartilhe:

Spotify e KakaoM apresentaram versões divergentes sobre o assunto

No último final de semana, fãs se surpreenderam ao perceber que centenas de artistas de k-pop foram retirados da plataforma de streaming Spotify. Nomes como Monsta X, KARD, Seventeen, NU’EST, (G)-IDLE, ASTRO, Pentagon e vários outros estão entre os artitas que tiveram músicas removidas da plataforma.

Todos os artistas removidos do Spotify tem como distribuidora a KakaoM, uma das maiores gravadoras da Coreia do Sul, que tem direitos sobre uma boa fatia do mercado.

Logo que as músicas “desapareceram” do Spotify, fãs especularam sobre um possível embate entre a plataforma sueca e a KakaoM. A empresa coreana possui seu próprio serviço de streaming, o Melon, plataforma de audição de músicas mais popular da Coreia. Enquanto isso, o Spotify, uma das maiores plataformas de streaming do mundo, lançou sua versão coreana no início de fevereiro, o que levou a discussões sobre como seria a divisão do mercado entre as duas plataformas.

Em resposta, um representante do Spotify informou que a retirada das músicas de artistas de k-pop de sua plataforma “não possui relação com o lançamento do serviço na Coreia do Sul”. Segundo a empresa, a questão envolve a renovação do contrato da KakaoM com o Spotify. As empresas, segundo o Spotify, estariam em discussão “há mais de um ano” e não teriam chegado a um acordo sobre o licenciamento global das músicas.

“Sabemos que essa situação é um inconveniente para fãs e artistas e esperamos que ela seja resolvida rapidamente”, disse o Spotify, “Iremos continuar fazendo de tudo para continuar trabalhando com distribuidores coreanos, incluindo a KakaoM, e ajudar tanto o mercado da música coreana tanto todo o ecossistema do streaming a crescerem juntos”, afirmaram os representantes do Spotify.

Em resposta, a KakaoM apresentou uma versão diferente. Segundo a empresa coreana, o Spotify teria oferecido um novo contrato sobre o licenciamento das músicas para o mercado doméstico sul-coreano. “Sem qualquer relação com esse contrato, que ainda está em negociação, recebemos a informação que a liberação da distribuição global das músicas expirou no dia 28 de fevereiro e solicitamos a renovação desse contrato”, explicaram os coreanos.

A KakaoM explicou que, como um contrato de distribuição na Coreia do Sul está em negociação, o contrato que se refere à distribuição das músicas em outros países foi encerrado pelo Spotify. “Estamos negociando a distribuição de nossas músicas”, disse a KakaoM.

Outros nomes que tiveram suas músicas do Spotify foram Epik High, CL, GFRIEND, Apink, The Boyz, Sunmi, LOONA, SF9, HyunA, 4minute, VIXX, Infinite, Dreamcatcher, Zico, Beast, Jessi, BTOB, Golden Child, Lovelyz, ONEUS, CNBLUE, dentre vários outros. Em resposta, fãs e artistas protestaram sobre as disputas entre as empresas.

“Aparentemente, por uma divergência com nossa distribuidora KakaoM, o Spotify retirou nosso álbum ‘Epik High is Here’ do serviço global sem nosso consentimento. Independente de quem é a culpa, por que sempre os artistas e os fãs são os prejudicados quando as empresas colocam a ganância acima da arte?”, disparou Tablo, do Epik High, no Twitter.

Alguns artistas já tiveram suas músicas disponibilizadas novamente no Spotify, como HyunA e Jessi, da P Nation, empresa de PSY.

Acesse nosso canal no Telegram e receba atualizações sobre o mundo do entretenimento asiático